HOME
BLOG
CULINÁRIA
NOTÍCIAS
SHOP
VÍDEOS
NOTÍCIAS: / Brasil / Celebridades / Economia / Esporte / Mundo / Política / Tecnologia

Será ridículo se a Catalunha não permanecer na Espanha, diz Trump



/ Mundo / Europa

O presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu nesta terça-feira (26) que a Catalunha permaneça unida à Espanha ao se pronunciar sobre o plebiscito de independência da região, programado para o próximo domingo (1º).



A declaração é feita após encontro na Casa Branca com o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, cujo governo tenta impedir a votação, considerada inconstitucional por violar o princípio de indivisibilidade do país.

Eu aposto que, se houver números e apurações precisas, você descobrirá que eles [os catalães] amam seu país, amam a Espanha e não desejariam deixá-la. Por esse motivo, sou favorável à Espanha unida, disse Trump.

Eu realmente penso que o povo da Catalunha ficará na Espanha. Acho que será ridículo não ficar, se você pensa sobre ficar em um país verdadeiramente grande, bonito e muito histórico.

Rajoy disse que um plebiscito não poderá ocorrer porque não existem organizadores. Quero que isso seja resolvido o mais rápido possível e que cheguemos a um novo patamar em que prevaleçam a lei, o diálogo e o senso comum.

Nesta terça, a Espanha anunciou que a polícia controlará seções eleitorais para frustrar o plebiscito. Um dia antes, a Procuradoria disse que os organizadores serão acusados de desacato, prevaricação e apropriação indébita.

O representante espanhol na Catalunha, Enric Millo, disse que não haverá um plebiscito efetivo devido à dissolução da comissão eleitoral, o que impediu os separatistas de ter acesso à lista de eleitores e do material de votação.

A medida é parte das ações do governo espanhol para evitar a votação. Anteriormente, Madri aumentou o controle sobre os fundos públicos na Catalunha e prendeu autoridades da região que faziam campanha pela consulta.

Isso levou a uma série de protestos de catalães, assim como acusações de líderes locais de que o governo central estaria retomando a repressão feita ao separatismo durante a ditadura de Francisco Franco (1936-1975).

Se acontecer a votação, a expectativa é que haja vitória do sim, visto que os favoráveis à independência devem comparecer às urnas com mais peso do que os eleitores partidários da permanência na Espanha.


Super Oferta

HashFlare