HOME
BLOG
CULINÁRIA
NOTÍCIAS
SHOP
VÍDEOS
NOTÍCIAS: / Brasil / Celebridades / Economia / Esporte / Mundo / Política / Tecnologia

Eldorado Brasil registra lucro de R$ 475 milhões



A Eldorado Brasil estabeleceu novas marcas histórias de produção no segundo trimestre de 2017, ao fabricar 444 mil toneladas de celulose, a um custo caixa de R$ 469 – 12% inferior ao trimestre anterior -, graças à alta eficiência operacional, o que coloca a companhia como referência global em competitividade para a produção de celulose.



Considerando os resultados dos últimos doze meses, o EBITDA (Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) acumulado é de R$ 1,8 bilhão, com a maior margem do setor, 58%. A companhia obteve um lucro líquido de R$ 366 milhões nos seis primeiros meses de 2017, resultado superior em 53% ao lucro de R$ 240 milhões no primeiro semestre de 2016.


Estabelecemos um novo patamar para a indústria global de celulose, à partir de um sistema de gestão focado em competitividade, sustentabilidade, inovação e valorização de pessoas, afirma José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado.

Os resultados alcançados pela companhia neste período têm como reflexo direto a maior participação de madeira própria e da redução na distância média entre as florestas e a fábrica.

O alto nível de produção industrial também possibilitou o aumento da venda de energia para o sistema elétrico nacional para 56 mil MWh nesse trimestre, o que gerou uma receita líquida adicional de R$ 22 milhões, um aumento de 48% em relação ao trimestre anterior, e de 210%, se comparada com o ano passado.

Já o volume de vendas foi de 436 mil toneladas de celulose, um resultado em linha com o primeiro trimestre, graças a uma estratégia comercial bem-sucedida, focada em mercados com alto potencial de crescimento e rentabilidade, como a Ásia. Os segmentos de tissue (conforto e higiene pessoal) e papéis representaram 59% do volume total comercializado pela Eldorado.

Ao longo dos anos, conquistamos altas consistentes das vendas, ao mesmo tempo em que gerenciamos de maneira efetiva os níveis de estoques, diz Grubisich. Graças ao aquecimento da demanda no mercado mundial, o preço médio em dólar da celulose vendida pela companhia cresceu 13%, em relação ao primeiro trimestre do ano, e 18%, na comparação com o mesmo período de 2016. Já o volume de vendas acumulado nos primeiros seis meses de 2017, de 870 mil toneladas, é mais um recorde.


Super Oferta

HashFlare